27 maio 2010

O dia da ira


De um académico português nas ilhas austrais, um desabafo fundibulário a respeito do "turismo revolucionário" que nestas últimas semanas assaltou Banguecoque. Tom duro, quase intratável; logo, cheio de verdade. Em suma, o direito à indignação.


O que mais me indignou em tudo isto nem foram as bestas vermelhas, mas a corja estrangeira aí aboletada que reexpeliu as suas poluções nocturnas de adolescentes maoístas. Esses realmente fizeram-me explodir de raiva. Sempre do alto dos seus privilégios, das suas Harvards tão exclusivas, só para milionários, e sempre "ao lado dos deserdados e excluídos" - sobretudo longe de casa - que hipócritas e canalhas são com o seu "activismo" pela "equality": também tenho aqui alguns aganhar 10,000 dólares por mês e que com sorriso largo e testa curta vão-se gabando de terem em casa as suas t-shirts vermelhas do "Che"...

Porque não vão antes fazer antropologia para os paraísos vermelhos do Laos e do Nepal? Têm medo de se desencantar? Aquela [...] da BBC só dizia que "era tão bom os vermelhos terem agora uma sólida consciência política" - mas não há um avião para pôr esta pestilência longe do reino? Os paizinhos destes privilegiados também andaram há 40 anos no PREC português a debitar ódio contra "a reacção". Depois publicavam matérias na imprensa europeia a exigir a libertação do herói Saraiva de Carvalho e reuniam abaixo-assinados para tal efeito. Oh como eu me lembro tão bem dessa escumalha: ingleses que vinham às [...] portuguesas, e [...] suecas que iam aos machos lusitanos do Algarve a aproveitavam as horas "vacas" para fazerem revoluções altruístas entre uma cama e outra...

3 comentários:

Nuno Castelo-Branco disse...

Nem mais, mas eu sou ainda mais duro na crítica. Abhisit devia deixar-lhes uma lição para não esquecer. Afinal de contas, apenas 14% do comércio tailandês é feito com a "Europa".

Euro-Ultramarino disse...

Mas como eu entendo perfeitamente o sentimento deste académico português! As alarvidades debitadas pelas centrais do tipo BBC e quejandos, todos muito afinadinhos, fazem qualquer mortal perder o que resta da paciência.
Abr. amigo.

Carlos disse...

Caro Euro-Ultramarino:

Se fossem só as centrais tipo BBC... O pior é que esta corja domina toda a informação mediatizada. Então por cá, os vendidos da imprensa alinham todos pelo mesmo diapasão empresário-revolucionário. Um nojo. E depois queixam-se de que os jornais não vendem, e já são oferecidos nos postos de abastecimento de combustível e nos hipermercados como bónus...

Cumprimentos da Metrópole.

Carlos Portugal