23 maio 2010

A grande prova: o fogo estava previsto há meses

Ler com a máxima atenção. Esta a prova incriminatória mais devastadora até hoje divulgada sobre a responsabilidade moral dos líderes vermelhos na tragédia de Banguecoque. Descartada fica a tese do acidente e da quebra da cadeia de comando.

2 comentários:

Nuno Castelo-Branco disse...

Imagino o que estará ainda para ser divulgado. A arrogância era tanta que já se sentiam vencedores antecipados. Agora, que respondam pelo que fizeram. Aqui no Ocidente, estariam enfiados num buraco de todo o tamanho. Na URSS ou China, seriam logo fuzilados in situ.

AG disse...

Deixaram-me esta nota no Facebbok. O que acha? Ab. Andarilho
: Uma Democracia s... See Moreó funciona se existir o respeito pela Constituição, pelas instituições e, acima de tudo, o respeito pelos resultados eleitorais. Sendo necessário agir, sempre, de acordo com as Leis vigentes.
Mas, na Tailândia, os militares fizeram um golpe de estado e correram com o antigo Primeiro-Ministro Thaksin Shinawatra simplesmente porque alguns generais não gostavam dele e, segundo consta, tudo começou porque Taksin se negou a comprar mais aviões para o exército Tailandês.
Os militares acabaram por colocar no poder os políticos que lhes convinha e, depois, fizeram gato-sapato da fortuna de Taksin que era o homem mais rico da Tailândia, congelaram-lhe as contas, arruinaram-lhe empresas, acusaram-no de corrupção, de que ele e a familia não pagavam os impostos, anularam-lhe o partido político e impediram-no de concorrer a novas eleições, porque sabiam que se houvessem eleições livres na Tailândia Thaksin Shinawatra voltaria a ganhar o poder democraticamente.