28 abril 2010

Sinais

O regresso do Primeiro-Ministro à sua residência oficial constitui sinal de confiança do governo legítimo na breve conclusão do actual episódio da crise política tailandesa. Os confrontos que nesta tarde opuseram forças militares a milícias vermelhas nas cercanias do aeroporto de Don Muang são demonstrativos da crescente volubilidade táctica dos rebeldes, agora apostados em iniciativas cuja racionalidade ninguém parece compreender. As tropas de choque bateram-se bem e foram alvejadas a tiro pelos vermelhos, mas desta vez a muralha militar não vacilou e obrigou os díscolos a retroceder para a sua base no centro de Banguecoque.

Soube-se que o complot contra a monarquia é bem mais sério e profundo do que se supunha. As autoridades limitaram-se a apresentar um gráfico com as mais expressivas conexões de uma rede conspirativa que é complexa e envolve pessoas aparentemente não associadas entre si. Porém, o governo encontra-se na posse de imensa massa informativa que tem vindo a ser reunida desde há semanas e as provas são, a todos os títulos, esmagadoras contra quem tenta minimizar ou duvidar da autenticidade das acusações que o governo produziu. Uma fonte que estimo de reconhecida idoneidade afiança que não há nem nunca houve desinteligências entre o governo e os chefes militares, mas um intencional jogo de simuladas contradições visando estudar as reacções dos rebeldes, levá-los a actuar desabrida e irreflectidamente e a exibir o extremismo que queriam ocultar da opinião pública e dos media internacionais.

Ontem, para desfazer dúvidas, a forte e influente comunidade chinesa realizou o maior comício de rua em defesa do governo e do Rei. A China Town encheu-se literalmente de pessoas e o trânsito em Yaoarat - a maior artéria da cidade chinesa - esteve paralizado, tão grande era a massa de manifestantes. Ainda hoje voltaremos com mais notícias sobre a situação de grande tensão que se vive em toda a capital e arredores.

1 comentário:

Nuno Castelo-Branco disse...

Excelente, acabei de colocar um post que vai no mesmo sentido. Pelo que tenho lido, a coisa está a diluir-se aos poucos.