13 abril 2010

O Estado honra os seus servidores

Com a presença da Rainha Sirikit e do Príncipe Herdeiro, realizaram-se em Banguecoque as solenes exéquias de um oficial do exército morto nos sangrentos confrontos do passado sábado. A presença da família real é um expressivo acto de coragem cívica e lembra aos servidores do Estado e da Coroa que as leis e instituições vigentes não foram abandonadas nem esquecidas num momento decisivo em que se decide o ser e não ser desta nação. Não se tratando de um acto político, mas demonstração da unidade e fortaleza do Estado, pretende honrar aqueles que servem a causa pública com o sacrifício da própria vida.

1 comentário:

Nuno Castelo-Branco disse...

É... um dia destes, os amigos de Thaksin dirão que esse oficial terá "falecido subitamente" com um ataque cardíaco, por exemplo. Ou então, lá virá a conversa habitual: "erva daninha pró-imperialista", "lacaio da burguesia", "cão de fila do feudalismo", etc, etc. Perguntem mais a norte e arranjam logo uma lista de desculpas. Com um bocado de sorte, até enviam uma fulana que guinche insultos ao microfone, latindo horas e horas a fio: "tchin,tchon tcahn ping donga tchiiiiiiiiin!"