03 abril 2010

Noite escaldante em Banguecoque

Ao lado de minha casa, barricadas vermelhas aguardam assalto do Exército e da Polícia de Intervenção. Os vermelhos lançaram hoje uma vasta operação de subversão e terrorismo económico visando a principal zona comercial da capital. Os prejuízos ascendem a 70 milhões de Bath. O vice-primeiro ministro ordenou aos vermelhos que evacuassem o centro de Banguecoque até às 23.15, hora local, mas o ultimato foi recusado. Combustões vai ver in loco o desenrolar da situação e aqui estarei de novo para relatar o que vi.

4 comentários:

Nuno Castelo-Branco disse...

Vê se nos contas detalhadamente o que se passa e com imagens, se te for possível. Não tenho a mínima confiança nos noticiários daqui.

Marcia Faria disse...

Hoje pela primeira vez vi na tv à cabo referência ao que acontece na Tailândia hoje.
Mostraram a passeata dos vermelhos pedindo novas eleições e à saída do primeiro ministro,no poder devido ao golpe militar de 2006.

José Domingos disse...

Por cá, a maioria dos jornalistas, escreve com a mão esquerda. Não dá para acreditar. Por aí, parece um novo assalto ao poder, á boa maneira marxista....

Carlos Velasco disse...

Caro Miguel,

Se for como no resto do mundo, essa gente só vai parar depois da tomada do poder, nem que seja daqui a vinte anos. Enquanto o dinheiro fluir, não haverá descanso. Foi sempre assim em todo o lado.
Eles acabam sempre vencendo por causa da exaustão do inimigo. Agora até na Colômbia, depois de incontáveis derrotas militares, estão prestes a se transformar num partido político legal.
E não falta pressão para a legalização das drogas no mundo(George Soros), o que fará das FARC uma corporação bilionária (O Richard Grasso, antigo presidente do NYSE, até já visitou um acampamento das FARC).
A estratégia deles é de longo prazo e eles estão sempre mobilizados, enquanto o adversário só se organiza esporadicamente por reacção, até o dia que se cansa. É como nos referendos da União Europeia.
Se a Tailândia tivesse um Mossad, não seria difícil mandar o Thaksin para a companhia do Estaline e do Mao (espero que tenham).
Apesar de conhecer a Tailândia quase que exclusivamente pelo seu blogue, já tenho este povo no coração.
Que os tailandeses demonstrem uma teimosia sobre-humana e não tenham medo de mostrar os dentes, se necessário for.
E que Deus te proteja.

Um abraço.