20 março 2010

Última hora

Dando o dito por não dito e quebrando a promessa feita à população da capital, a liderança vermelha está a chamar de regresso a Banguecoque parte dos efectivos que sábado aplicou na caravana de retirada. É uma estratégia errática, ainda por esclarecer, que acompanharemos no decurso das próximas horas.
Uma intuição que tem vindo a crescer dentro de mim é, no mínimo, sinistra. E se tudo o que está a acontecer na Tailândia for mais, bastante mais, que uma luta caseira entre Thaksin, os seus aliados comunistas e os seus mandaretes contra o governo monárquico de Abhisit, mas um surdo enfrentamento velado entre os EUA e a China ?
Em plena crise que se vive, na passada quarta-feira o embaixador norte-americano foi recebido por Abhisit e fez questão que todos os orgãos de comunicação social estivessem presentes. Estará a China a retaliar pela recente visita do Dalai Lama aos EUA, bem como pelo aprofundamento das relações com Taiwan e com a mudança de estratégia americana em favor da Índia ? Estará a China a apoiar financeiramente os Vermelhos ?
O que anda a Europa a fazer ? Porque se mantém tão calada ? Será que está a fazer trabalho para Pequim ?

3 comentários:

Nuno Castelo-Branco disse...

De certeza absoluta. A China está a jogar forte e o próximo país será a Malásia. Não duvides. Estúpidos como são, os americanos embarcam sempre na "luta contra o obscurantismo" monárquico. Não aprendem, essas bestas...

Nuno Castelo-Branco disse...

Aliás, a "Europa" está a ser plenamente aquilo que é: lixo sem qualquer "valor acrescentado" e de impossível reciclagem. Uísque, cabarés de p... e resorts de luxo, eis os seus interesses básicos na Tailândia.

José Domingos disse...

Qual europa. Isso não existe. Existe a URSE ( União das Repúblicas Socialistas Europeias), que não conta para campeonato nenhum. Serve a Alemanha, que está a tratar da vida dela, e farta de dar dinheiro, para o proxenetismo europeu. O povo já não tem hipoteses de nada, isto virou procissão.Esta europa é o resultado de um longo processo social que inclui uma educação rasca, ministrada a gerações sucessivas, por escolas e universidades que se tornaram centros de indoutrinação das visões da esquerda. Todos vão mamando, até secar, e vai secar.