11 janeiro 2010

Curiosidades tailandesas: sem medos e sem as vergonhas ocidentais

Sou distraído, pelo que só recentemente me dei conta de uma prática aqui muito arreigada, interpretada como supino gesto de cavalheirismo. Na Tailândia, quando os casais se passeiam, os namorados/maridos insistem em transportar a mala do seu par. Já cheguei a ver oficiais de alta patente, carregados de medalhas, transportando airosamente nas mãos uma malinha cor-de-rosa com arreios dourados.
Todos os actos delicados passam por suphab (educação) ou nissay dii (bom comportamento), pelo que as senhoras ficam Kreng Jáy (agradecidas e em dívida) para com tais manifestações.
Não me atrevi violar ostensivamente a privacidade das pessoas, mas pelos dois exemplos fotografados [de costas] fica a sugestão. Aqui, marido e mulher vão juntos ao cabeleireiro e à manicure, enchem a casa e a cara de cremes e até parece que partilham o make-up. Enfim, um monumento à igualdade. Entre nós, saídos recentemente do neolítico, até se exigia que os homens cheirassem a cavalo e se rissem sobranceiramente das colónias e dos roll-one. O mundo é um espectáculo de diferenças.

3 comentários:

Nuno Castelo-Branco disse...

ehehehe, aqui estavam tramados, havia de ser bonito. ou chamavam-lhes palavrões, ou então a policia prendia-os, acusando-os de assaltos a senhoras.

João Amorim disse...

caro Miguel

A sua observação teve piada. Em Portugal uma das imagens típicas das famílias, a passear ao "fim-de-semana, é ver o homem a caminhar 3 metros à frente e atrás a mulher com os filhos. Eu gosto de levar a carteira da minha mulher – desde que não seja "cor-de-rosa"........

Hugo disse...

Curioso que em Macau se vê a mesma coisa.