10 dezembro 2009

A minha Pai Natal preferida

Já a vi por duas ou três vezes promovendo produtos de beleza no centro comercial aqui da esquina. É a antítese do malfadado, plutocrático e rotundo Santa Claus, a negação da sacralidade do Natal, usado pela Coca Cola e fantoche das urban legends da parvalhização consumista. Esta, sim, é uma verdadeira Pai Natal. As tailandesas são, de facto, bem talhadas para mitos.

4 comentários:

Nuno Castelo-Branco disse...

Pois..., "tá-se" mesmo a ver.

NanBanJin disse...

Então, aqui no Nippão havia de ver...

João Amorim disse...

Doravante, os horriveis pais natais deviam ser substituidos por jovens sem barriga, sem barba e sem voz de urso. Já chega de mau gosto.

Carla Teixeira disse...

Sim, belíssima, mas presta-se ao mesmo uso do Pai Natal da Coca Cola, o consumo. Mudou-se o sujeito, o objeto continua o mesmo.