16 setembro 2009

Coisas que aprendi com a vida


O mundo pertence aos tolos, pelo que nunca devemos revelar metade daquilo que sabemos.

O mundo está cheio de grandes homens que nunca demonstraram aquilo que valem, pelo que demos subentender que tais propaladas qualidades se limitam à capacidade de vergarem a espinha e de servirem a um senhor que os fez importantes.

O mundo está cheio de projectos e ideias que raramente se aplicam; quanto mais se invocam os valores e a coerência das ideias, mais atropelos se cometem contra aqueles que não têm nem projectos nem ideias.

Pior que os medíocres são os puros; em nome das suas monomanias são capazes de matar, torturar e flagelar as suas vítimas enquanto exibem profunda consternação pela teimosia com que estas lhes resistem.

Por detrás de qualquer ideia peregrina há, escondido, um chão propósito. A mentira e a dissimulação colam-se como um luva aos mais altos propósitos. Mentir por princípio e enriquecer como fim são leis invioláveis da vida social.

As pessoas gostam de pequenas coisas, lugares-comuns, meias-tintas e ramerrão que não anda nem deixa andar. Nunca faças nada que coloque em risco a mediocridade santificada. Se o fizeres, és um um desmancha-prazeres, um provocador ou um marginal.

Quanto mais vulgar e maldosa uma ideia, mais aguerridos seguidores se congregam em torno da sua bandeira. Que eu saiba, as ideias mais populares são aquelas que pedem vingança, morte, anulação da diferença e não as que exigem aprimoramento, superação e emulação.
Miguel Castelo Branco

5 comentários:

NUNO RAMOS disse...

Para quem gosta de recordar o nosso clube em imagens, recordando as nossas vitórias e glórias, visite o Armazém Leonino. Julgo que passará alguns momentos nostalgicos. Peço desculpa pela intromissão!

http://armazemleonino.blogspot.com

para apaixonados por cromos,jornais antigos, relatos de futebol, revistas antigas, etc... visite!

Lara disse...

Adorei!
;)

Nuno Castelo-Branco disse...

Basta ler os programas de alguns partidos e lá estão todos os preconceitos e violências exterminadoras, de braço dado com a estupidez.

Manuel Brás disse...

A mediocridade santificada
opõe-se ao aprimoramento,
esta realidade intrincada
evangeliza o atrofiamento.

A mentira e dissimulação
colam-se a essa realidade,
originando a empalação
da falta de honestidade.

Deolinda disse...

Parece-me um tanto desanimado...
Olhe que a maior parte dos desejos de vingança fica bolorenta...
Inclino-me para o lado de prevalecer uma certa tendência para o comodismo individualista...e para a ausência de lideranças que se impõem pelo bom exemplo.