27 julho 2009

Le Bon: viagem ao topo do mundo



Gustave Le Bon (1841-1931) não foi apenas o autor da Psicologia das Multidões. Foi, sobretudo, um eminente orientalista, encarregado pelo governo francês de desenvolver sucessivas campanhas arquelógicas no Oriente. O autor de tão vasta obra publicada sobre as civilizações árabe e indiana não quis que os seus estudos se confinassem às academias e foi, sempre, um adepto do educacionismo e da promoção do conhecimento entre o vasto público leitor das gazetas. No início da década de 1880, desembarcou na Índia e palmilhou os agrestes contrafortes dos Himalaias em demanda do misterioso reino nepalês, então praticamente isolado do mundo. Desta jornada deixou aos leitores de Le Tour du Monde o belíssimo testemunho que acabo de comprar.
A presença de um branco entre os nepaleses era, para Le Bon, tão estranha como a de um canaque que se passeasse com os seus atavios entre os parisienses do Boulevard des Italiens. Recebido com suspeição pelas autoridades - lembraram-lhe que "com os comerciantes ingleses vêm os mosquetes e com a Bíblia as baionetas - teve, também, de provar a sua inocência política ao embaixador britânico em Katmandu, cioso dos interesses de Londres na região.
Leitura que recomendo para as férias de verão.

2 comentários:

Nuno Castelo-Branco disse...

Sempre gostava de saber o que na realidade se está a passar no Nepal. Quem manda? A China?

The White Scratcher disse...

Olá. Descobri este blog por mero acaso. Os teus posts fazem dele um sitio tão longe e tão perto.

Ha muita calma aqui,,, sabe bem.
Abraço