22 julho 2009

Belezas miniaturais





Não sou coleccionador de coisa alguma, por me faltar a paciência, o tempo e até o dinheiro para aplicar em objectos que exigem estudo, conhecimento especializado e, até, relacionamento com pessoas que a eles dedicam o esforço de uma vida. Contudo, desde que cheguei à Tailândia - um país de filatelistas entusiastas - deixei-me seduzir pelos belos selos postais e compreendi que por detrás desta produção torrencial, de esmerada apresentação, qualidade de impressão e variedade temática, corre um importante veio da afirmação da identidade nacional. Os filatelistas de todo o mundo cobiçam estas pequenas maravilhas policromas e acabo de ler que alguns destes frágeis quadriláteros serrilhados acabam por chegar à Europa e aos EUA a preços dez vezes superiores àqueles que por aqui se praticam.


Se não os colecciono, mas simplesmente os adquiro para contemplação, impus-me, e talvez por superstição não abandonei a prática, comprar um selo por semana; contas feitas, aqui estou desde Outubro de 2007, logo terei certa de 80 pedacinhos de papel que contam a história da presente dinastia.


สปอร์ตรัฐธรรมนูญ

2 comentários:

cristina ribeiro disse...

Bonitos, sim senhor!

Nuno Castelo-Branco disse...

Ainda hoje, quando envio as cada vez mais raras cartas, escolho sempre os nossos selos que por sinal, são também de excelente qualidade. Quando aí vivi em 1996, sempre que escrevia para Portugal, fazia o mesmo, procurando os selos mais bonitos.