16 maio 2009

A segunda morte do Che em directo


Alertado pelo confrade Jansenista, aqui fica eloquente demonstração da fragilidade dos mitos políticos, assombrosa exibição do mentecaptismo da esquerda infantil. Médico impostor, criminoso de guerra, paranóico com assomos de Savonarola purificador, o Che que o consumismo capitalista transformou em mercadoria era a negação da heroicidade.


Ai mi Cuba (Tito Puente e Célia Cruz)

2 comentários:

Luís P. disse...

O mais idiota é que são estes os senhores que apoiam candidatos "progressistas" para a Casa Branca... E o triste é serem ouvidos durante um segundo que seja!...

Abraço

Nuno Castelo-Branco disse...

Estou-me c... para o tal Che!