14 abril 2009

Última hora: rendição

A insana aventura dos vermelhos acabou hoje com humilhante rendição dos líderes thaksinistas às Forças Armadas. Aquela que estava destinada a ser uma gloriosa jornada revolucionária, acaba sem glória, sem mártires e com a reputação de Thaksin afectada. A Tailândia assiste o Thermidor de uma longa crise política iniciada em 2006. Esgotados, os partidários de Thaksin estarão muito diminuídos e a sua credibilidade feita em tiras após dias em que lançaram mão da política de terra queimada que afectou, sobretudo, a população e cujas cicatrizes se encontram um pouco por toda a capital. No extremo oposto, os "amarelos", terão por sua vez sido ultrapassados e perderam o lugar de destaque que detinham na luta contra Thaksin, posto que o governo mostrou-se à altura do desafio e parece reunir a maioria silenciosa.

As Forças Armadas mostram esplêndida fibra e deram provas de profissionalismo e auto-domínio dignos de registo. São, juntamente com a monarquia, o funcionalismo do Estado e a Shanga budista, os mais fortes esteios da unidade nacional. Enganou-se quem julgou precipitadamente que a Tailândia havia mudado. No fim desta jornada, até os vermelhos se entregaram à protecção daquelas instituições que haviam afrontado. Combustões volta, pois, à rotina e dá por encerrado este capítulo.

12 comentários:

João Amorim disse...

Não devia ter seguido jornalismo???
Excelente périplo, quase cinematográfco.

abraço
João

Nuno Castelo-Branco disse...

Um mau dia para Berlusconis, Balsemões e Murdochs e seus apêndices em Bruxelas, Washington e Pequim. Viva o Rei!

Margarida Pereira disse...

...um alívio, se quer saber. Pronto. Agora já se dorme mais descansado também por cá.
(a questão é que isso ainda vai dar que falar; sim, que a história não vai ficar por aí...)

Nuno Castelo-Branco disse...

Era só o que faltava, mais uma Filipinas, Birmânia ou Indonésia. A Tailândia é um país maravilhoso, com problemas, mas incomparavelmente melhor que tudo aquilo que a rodeia. Os "observadores" estrangeiros deviam fazer isso mesmo: observar, estudar e tirar as conclusões, em vez de brincar às revoluções que por aqui falharam (na Europa) há 30 ou 40 anos. Preocupem-se com os problemas no Médio Oriente, onde Portugal vai ter tropas num cenário catastrófico e ao contrário daquilo que "eles" andaram a berrar nas ruas em 75. Nessa altura, garantiram que o nosso exército apenas participaria em missões de defesa do nosso território. Mais uma promessa que o vento levou.

LUIS BARATA disse...

Parabéns pelo acompanhamento que fez destes dias turbulentos no Reino do Sião.

Combustões disse...

João, Nuno, Luís e Margarida:
Acabou. Está consumado. Por mais cambalhotas que os aliados de Thaksin - gente com enorme influência mediática, financeira e política - o homem está virtualmente acabado.

Nuno Castelo-Branco disse...

Som Phracharan!

Lura do Grilo disse...

Uma atitude firme contra a barbárie avermelhada. Parabéns para a Tailândia e para todos os que tiveram que aturar o primitivismo desta caterva de mandriões e vândalos.

filipe-pombo disse...

Parabéns pela aventuras e desventuras a que esteve sujeito para nos trazer noticias "fresquinhas" e "In loco".
Vamos esperar que tudo volte à normalidade.
Um abraço deste seu leitor assíduo.
Filipe Pombo

Helena Branco disse...

Tenho acompanhado de perto todo esta barbárie, congratulo-me com o fim do primitivismo actual sanguinário

Obrigada pelas notícias em permanência

Combustões disse...

No fundo, até tenho pena do Thaksin, que é um homem de estatura e tem uma coragem feroz que deve ser respeitada em qualquer político. Perdeu-se e quis que outros se sacrificassem pelo seu ego do tamanho de uma pirâmide.
Tenho um grande amigo thai que é thaksinista incondicional. Ontem telefonou-me e disse, quase a chorar que tinha uma pena enorme do seu líder e que se culpava por não ter tido coragem de oferecer a vida pela causa. Até na derrota os tailandeses têm nobreza.

António de Almeida disse...

Novos episódios a caminho?

http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1374862&idCanal=11