17 fevereiro 2009

Si, Si, Si, Si, Si


Há alguém que me explique qual a razão que leva um ditador a procurar nos votos aquilo que detém na ponta dos fuzis ? Ou não será a democracia, que tanto dizem detestar, o grande recalcamento dos ditadores ? A semântica da democracia ao serviço dos regimes que a negam é vasto campo para a psicanálise: das "democracias orgânicas" às "democracias musculadas", das "democracias populares" às "democracias directas", tem sido de prodigiosa criatividade a capacidade dos ditadores de mentirem a si mesmos. Isto está para a política como a religião para os ateus, que de tanto detestarem Deus, se tornam obcecados pela Sua presença, que acabam por reconhecer.

3 comentários:

Helena Branco disse...

É por certo recalcamento!

Frustração psícótica. Uns quilos de "asno" a vociferar...

Cumprimento-o por nos permitir avaliar o nosso e acrescentar ao nosso desejo de conhecimento, o tanto que aqui expressa com tanta sensibilidade e erudição

canoa disse...

"Isto está para a política como a religião para os ateus".
Essa agora! Calma aí, eu sou ateu de longa data mas não me importa nada que deus ou os deuses existam. Não me incomodam. É um negócio como outro qualquer. O mesmo não posso dizer dos ditadores democratas. Ou não se pode ser ateu?

Miguel Lopes disse...

"Há alguém que me explique qual a razão que leva um ditador a procurar nos votos aquilo que detém na ponta dos fuzis ?"

Ponha-se no lugar do ignorante, como eu, e admita que não é capaz de saber se Chávez é ou não um ditador. Não pode auscultar os seus pensamentos mais íntimos.
Não obstante, saiba pelo menos que se ele for um ditador, então ainda não se deve sentir satisfeito. Sócrates também pode ser um ditador, mas se não o pratica como é que eu vou saber?

Isto não são preocupações democráticas. Isto são ressentimentos de uma direita que tem levado um monumental coçoide nas urnas latino-americanas. É uma direita que adora a democracia, sim. Mas é só quando ganha.

Cumprimentos