20 janeiro 2009

Que o desastre não se repita


- Fez-nos a vida negra, armou os terroristas da UPA que cometeram atrocidades inomináveis no norte de Angola e, no fim, foi ao MPLA que coube o poder em Luanda.
- Abandonou Cuba aos guerrilheiros da Sierra Maestra e depois não deu aos anti-castristas o apoio de que necessitavam para evitar a implantação do regime concentracionário de Fidel.
- Envolveu os EUA na guerra do Vietname e tudo fez para que o regime católico de Ngo Dihn Diem (Vietname do Sul) fosse deposto por uma camarilha de generais corruptos amestrados nas academias norte-americanas. Dez anos volvidos, os EUA saíam derrotados do Sudeste-Asiático.
- Facultou pleno apoio à preparação e execução do golpe de Estado do Ba'ath no Iraque. No fim da década, o Iraque estava alinhado com a URSS e convertera-se na mais bem conseguida experiência totalitária no Médio Oriente.
- Prometeu maior liberdade e direitos civis, mas não teve coragem para ir mais além, pelo que coube a Lyndon Johnson o papel de verdadeiro emancipador dos negros norte-americanos.
JFK foi um logro, produto da política de lóbis, da imensa fortuna da família e dessa infantil crença de um sonho que parece só bafejar a plutocracia que se pode dar ao luxo de vestir, falar e pensar como as "working classes". Quando vejo tanto entusiasmo por Barack, só lhe desejo que não siga as funestas pisadas desse falso aristocrata do dinheiro em cuja presidência se cometeram tantos erros. No fim desta maratona-festa de investidura, ficou a sensação de uma enorme campanha de relações públicas destinada ao pouco sofisticado universo mental dos americanos - onde não faltou a patética dança do casal presidencial - e, sobretudo, um imenso paternalismo denunciando o jamais resolvido problema racial. Para bem de todos nós - e continuo a pensar tratar-se de um senhor e um ser bem intencionado - espero que Obama consiga fazer uma boa presidência.

6 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

O aviso é muito oportuno. Embora partilhe os mesmos receios, hoje decidi deixar-me invadir por um sentimento de esperança. Esperemos para ver...

Joao Quaresma disse...

É por isso é que é esclarecedor que muitos dos que criticam George W. Bush sem dó nem piedade, não poupam elogios a JFK. Bush cometeu sem dúvida os seus erros mas JFK foi um dos piores presidentes dos EUA, um autêntico presente dado à URSS.

Jose Martins disse...

Que Deus proteja o Barack Obama!Estive a seguir a cerimónia horas seguidas pela TVE (castelhana), que ainda não parou de transmitir em retrospectiva o evento... Penso que a campanha do Obama deve ter sido, em parte, pelos hispânicos residentes/naturais dos Estados Unidos de América. A festa foi glamorosa e julgo nunca vista em Washington. Mas tenho as minhas dúvidas se um presidente "mulato" terá futuro na "White House". Oxalá que sim... Mas a historia diz-me que não! Comparei o Obama ao presidente Kennedy (sou do tempo dele)que era muito desenvolvido no discurso e caticava as massas como, ontem, o Obama as chamou a si. Há uns anos, na cidade da Beira em Moçambique, ouvi uma frase que considero filosófica: "os humanos têm algo de parecido com os carbeiros, se um cai num poço, os que vêm atrás seguem-no e caiem no abismo". Mas homens também são bonecos, robertos de feira, que por por cordelinhos também são manejados, da barraca, pelo artista que os criou. Não gostei nada daqueles sorrisos, durante a cerimónia, de George W Bush.
José Martins

Combustões disse...

É curioso. Também me apercebi do sorriso e fiquei espantado. Os americanos, que não conseguem dissimular o ódio racial (de um lado e doutro, pois essa é a matriz daquele país edificado sobre cemitérios índios e escravos do algodão) vão levar esta presidência muito a sério.

Margarida Pereira disse...

O realismo de tudo o que é dito aqui (no 'post' e nos comentários) gela.
Depois de tanto facto, é deveras possível o sonho?
Ou melhor, a esperança?
Ou abraçamos essas utopias em catadupa com o desespero dos condenados?

Nuno Castelo-Branco disse...

E contudo, Bush não parece ser um racista. Aprendeu espanhol, rodeou-se na administração de gente bem mais negra que o senhor Obama. Racista era sem dúvida o Kennedy do post e a testemunhá-lo, existem numerosas gravações acerca do conturbado período de afirmação de Luther King. O vilipendiado L.B. Johnson fez muitíssimo mais pelos negros que todos os outros antecessores juntos.