10 dezembro 2008

Combustões acertou



Parece estar por dias a formação de um novo governo na Tailândia. Os extremos (amarelos e vermelhos) ficam de fora e a Maioria Silenciosa "azul-amarela" triunfa sobre a crispação que quase levou o país ao caos. O novo primeiro ministro na calha é Abhisit Vejjajiva, jovem nascido no Reino Unido, educado em Eton e proveniente de uma velha família de origem chinesa estabelecida no Sião deste o século XVIII e com provas dadas de lealdade ao Rei e à dinastia. Como aqui prevíramos em finais de Agosto, o princípio do equilíbrio prevaleceu, prova da maturidade política dos thais. A análise e previsão políticas não são especialidade minha, mas o estudo aturado da história contemporânea da Tailândia, de 1767 à presente data, permite-me encontrar constantes linhas de força. Parece encerrada, definitivamente, a crise tailandesa: não houve revolução, a democracia não soçobrou e o Rei saíu, como sempre, mais forte e estimado.

Abhisit é um homem cordato, educado e monárquico; em suma, um verdadeiro thai. Era disto que a Tailândia estava à espera. Falhou clamorosamente o golpe subversivo e os arranjos externos para manipular o país e forçá-lo a descaracterizar-se. Thaksin acabou. Por outro lado, o PAD fez o que tinha a fazer e resta-lhe limpar e arrumar as armas, aceitar a legalidade e submeter-se a sufrágio. O interminável desfilar de carrancas e carantonhas thaksinianas, dos homens de mão e dos valetudinários que encheu o país durante os últimos anos vai terminar. O dinheiro, segredo de tantas dedicações, parece estar a acabar. É a altura de chegar um homem impoluto.


Sob o céu da Tailândia (ópera em homenagem aos Reis que fizeram a nação)

1 comentário:

Nuno Castelo-Branco disse...

Quando aí vivi, pontificava o senhor Barnharn. Quando das cheias no vale do Chao Phraya, o centro do país esteve submerso durante uma semana, até ao momento em que o rei foi à TV e apresentou a sua solução para o problema. Apelou às forças armadas, propondo a abertura de canais de drenagem. A população acorreu em massa e o caso resolveu-se, para grande embaraço do governo.
A ver vamos o que este novo 1º ministro poderá fazer.