22 novembro 2008

Golpe militar


Os civis não se entendem nem se dão ao respeito. Aqui, sempre que detiveram o poder, mostraram-se incapazes de encontrar aquela estabilidade que faz dos regimes constitucionais participativos o mais forte argumento dos defensores da democracia. Ora, quando as democracias se perdem na fulanização, no grupismo, na corrupção e na anomia, o melhor destino que se lhes deseja é o de fecharem portas e despedirem aqueles que se banquetearam impunemente com a riqueza pública. As coisas estão por um fio. Amanhã, na próxima semana, no próximo mês, os tanques desfilarão entre alas de aplausos e os generais invocarão a vontade nacional. É assim que morrem as democracias. É pena, mas é assim !

Sem comentários: