10 outubro 2008

A vitória é completa



O Supremo Tribunal tailandês deu ordem de soltura ao major-general Chamlong Srimuang, líder da frente anti-plutocrática. Chamolong havia sido detido no passado domingo quando votava para as eleições para o governo de Banguecoque e o governo exultara com a captura da carismática figura de cartaz da Aliança Popular para a Democracia (PAD), que pretende extirpar da vida política tailandesa os vírus da corrupção, do clientelismo e da manipulação eleitoral que caracterizaram a passagem de Thaksin Shinawatra pelo poder. Não sendo, ainda, o triunfo dos tradicionalistas, a libertação de Chamlong constituiu a maior vitória do PAD desde a sua criação, há três anos, e a realização do pleno institucional que levará à derrocada de uma forma corrupta de democracia. Chamolong já afirmou que não o move qualquer propósito liberticida, mas uma investigação profunda à rede de tráfico de influências em que está atolado o PPP, partido do governo, pró-Thaksin. Com o manifesto apoio da Casa Real às centenas de militantes do PAD feridos na passada terça-feira, quando a polícia reprimiu brutalmente a manifestação que a oposição realizava em frente do parlamento, com a demissão do vice-primeiro ministro, general Chavalit - que agora apela ao golpe de Estado para solucionar a crise - dir-se-ia que a Tailândia parece querer arrumar a casa após meses de grande perturbação. Uma coisa aprendi com este povo que tanto respeito. Por detrás do sorriso, da brandura e tolerância desta gente, há uma tenacidade - uma quase teimosia - que tudo consegue vencer. O que podem a polícia de choque e o dinheiro quando a alma de um povo não teme nem se vende ? Agora faço fé nas palavras de muitos amigos tailandeses. Dizem-me repetidamente que darão a vida pelo Rei. Afinal, é verdade: os tailandeses pegaram em armas e ninguém os segura.


Pee May

Sem comentários: