19 outubro 2008

Exotismos santificados


Cruz de Guerra e heroína da sua pátria adoptiva, mãe de dezenas de desvalidos, dela afirmaram os sempiternos patetas da maldade ser meio-humana, meio-símio. Foi uma santa e morreu no palco para alimentar as pobres criaturas que os "homens de valores" prefeririam ver em reformatórios. A santidade também se conquista de seios à mostra. Hoje comprei a nova antologia de Joséphine Baker. Comprei-o por ela, apenas por ela.

Josephine Baker - Ma Tonkinoise (1931)

Sem comentários: