13 setembro 2008

Lourenço Marques há quase 100 anos








Dizia há 30 anos um politiqueiro por demais conhecido, que Portugal quase nada deixara em África. À minha avó, que cumpre 92 anos no próximo dia 15, imagens de um Moçambique desconhecido para a maioria dos portugueses de hoje, lembrando que o boom económico dos anos 60 não nasceu do nada. Para calar os mentecaptos e os obscurantistas de serviço, postalinhos de uma Lourenço Marques "à britânica", cosmopolita e crente nas "ideias do progresso", que o amigo Carlos Falcão teve a bondade de me enviar. Com vénia ao excelente Malhanga.


Bach to Africa: Lambarena

Sem comentários: