06 setembro 2008

Combustões no coração dos rebeldes: comício 24x24 horas (V)








Chovia torrencialmente, mas na avenida que conduz ao Palácio congestionava-se uma multidão coberta de capotes plásticos. Eram os visitantes, aqueles que vão e voltam para as ocupações diárias e fazem o comício permanente de 24 horas. Aplaudem, cantam e dançam freneticamente. No palco há músicos rock, pop e oldies, mais bandas de "country" tailandês, crianças que tocam piano, saxofonistas e outros amadores porque o show não pode parar. Esta gente diverte-se e vive com intensidade as alegrias da vida, pelo que a política também deve divertir. Pelas oito da noite há oração colectiva, com recitação dos mantra e meditação. Acende-se o incenso e as velas e pede-se pelo fim da crise. Pede-se pelos amigos e pelos inimigos e que o Rei triunfe. Comovente, não ?
Aqui não haverá guerra civil, como nunca houve no passado. Os thais consideram-se uma raça especial e possuem um sentido de comunidade tão apurado que não aceitam a possibilidade da divisão. Nos confrontos violentos do último fim de semana, um miliciano pró-governo foi trucidado pelos tradicionalistas. Jazendo no chão, coberto de sangue, não houve ambulância alguma que se prestasse a correr o risco de socorrer o desgraçado. Foram os próprios inimigos que o levaram ao hospital. Estranho país, este, onde as expressões mais ouvidas são May Pen Ray (não faz mal), Sabai Sabai (está tudo bem) e Sanuk (divertimento) e as pessoas, até a chorar, sorriem. Fica tudo explicado. Caramba, como amo este país !


Tong Chai McIntyre: Sabai Sabai = está tudo bem (1986)

สบาย สบาย
(...)
sabai sabai = está tudo bem
leaw ther ko khong khaw jai = e tu comprendes
rau nan ja yu rian ru kan pai = que se vamos viver e aprender juntos
cak thuk cak suk phiang nai = muita dor e prazer experimentaremos
sabai sabai = está tudo bem, assim

Sem comentários: