19 agosto 2008

Musharraf, o último vestígio do raj


Nasceu no território da actual União Indiana, em enclave muçulmano e família de servidores da administração britânica, o pai oficial administrativo e a mãe uma muçulmana emancipada, com título académico e intensa actividade social e política. Por nascimento, é expressão indiana da gloriosa tradição dos Grão-Mogóis e de uma minoria que sempre foi a nata da Índia britânica. Ainda hoje, na Índia ou no Paquistão, esses muçulmanos - agora "retornados" - marcam pela diferença. Não são gente de bazar, das fazendas e da charcutaria. São militares, diplomatas, médicos, advogados, professores e são, quase sem excepção, de grande abertura e tolerância religiosa. São uma excepção, como os nossos "retornados" o são entre nós. A familia de Pervez Musharraf abandonou a "maior democracia do mundo" pouco após a independência e na nova pátria quis que o seu filho recebesse a melhor educação. Recebeu o jovem "retornado" esmerada educação numa escola primária cristã, seguindo para um colégio igualmente cristão para a conclusão dos estudos liceais. Esta matriz - orgulho social, lealdade no serviço ao raj britânico e educação ocidental e cristã - deram-lhe aquela compostura e aprumo que a posterior condição militar acentuou. Foi, toda a vida, um muçulmano por herança e um amigo do Ocidente, não se lhe detectando qualquer trauma compensatório e aquele ódiozinho mesquinho que marca tantos indianos na atitude perante os antigos colonizadores. Em suma, veio de família habituada a dar ordens e a saber obedecer, aquelas características que são a forma e substância das elites. Agora que parte - espero não me enganar - vão voltar o tribalismo, o caciquismo, a incapacidade de realizar o interesse nacional do Paquistão e mesmo, quem sabe, o assalto da plebe fanatizada ao poder. Ainda teremos todos saudades de Musharraf. Como gosto do poder personalizado e responsável - sobretudo quando detido por mãos prudentes, coração liso e sentido de serviço - rendo-lhe a minha humilde homenagem.


Taboo, de Natural born killers (Nusrat Ali Khan)

Sem comentários: