18 maio 2008

Moçambique colonial


O Nuno - que também é artista - dá a conhecer em primeira mão uma obra de 60 anos que merece estudo e divulgação, tão raros são os testemunhos pictóricos de uma África desaparecida. Falo, concerteza, dos trabalhos da minha mãe.

Sem comentários: