06 maio 2008

Da não-história das plutocracias e dos militarismos

Abro a CNN e só me chegam ecos de magnas preocupações fiscais, do movimento bolsista e de medos sobre as ramas de petróleo.


Se Xenofonte, Aristóteles, Plutarco ou Tucídides não a tivessem idealizado e canonizado como quinta-essência de uma sociedade imóvel e fechada, dela nada teria ficado. Esparta viveu encerrada no analfabetismo: sem literatura, sem leis escritas e registos historiográficos, sem belas-artes, teatro e música, foi a negação do Fogo Grego. Ali, tempo, pensamento, dúvida e indagação não contavam. Como Esparta, assim também foram os Citas, os "Povos do Mar", os Dórios e tantos outros lembrados pelas devastações provocadas entre povos cultos, sedentários e empreendedores. Dominados pela acção e parasitas do trabalho, do engenho e riqueza daqueles sobre os quais se lançavam, foram estimados, sobretudo, por autores que neles decantaram uma humanidade sem freio e livre daqueles bons preconceitos que tornaram possível a civilização. Os intelectuais, as criaturas que mais sublimam o poder, a força e a violência, elegeram-nas como tópico para a cerrada crítica à habitualidade, ao amor pela paz e à estabilidade.
Do mesmo modo, se Romanos, Chineses e Khmeres por elas não tivessem exibido um quase mórbido fascínio, Cartago e Srivijaya, os dois maiores exemplos de plutocracias da Antiguidade Clássica do Ocidente e Ásia, hoje pouco ou nada nos interessaria a sorte dessas sociedades inteiramente mobilizadas pelo dinheiro e pelo lucro. Quando há anos visitei Cartago, dela pouco ou nada vi para além da Cartago romana, pois que da Cartago semita não mais restam que patéticos tofét, umas estalizinhas medíocres e muitas ânforas. De Srivijaya, finalmente liquidada pelos javaneses no século XIII, não há nada e os historiadores travam inconsequentes polémicas sobre a localização da capital de tal mítica entidade.
Temo que o Ocidente de hoje , bem como os aclamados ricos tigres da Ásia, tenham regredido à condição de Srivijaya e Cartago !

Sem comentários: