19 março 2008

Sem mais

"(...) Ao ler os seus artigos sobre Portugal compreendo a sua ausência de saudades. Há alguns dias ao passar de carro, em serviço a caminho do Baixo Alentejo, que já não é seco e amarelo mas mais verdinho graças ao Alqueva, e observando bois pastando no campo, sem querer ser maldosa comparei-os mentalmente ao portugueses, mansos, em tudo bovinos que se sentam nos cafés ruminando ódios e cóleras que nunca resolvem.
É o nosso Portugal de plástico e “rusalite” ! (...) " A.

Sem comentários: