21 setembro 2007

Cartas de amor

Quem as escreve ainda? Antes, uma, duas ou três por mês. Agora, com os computadores - e com a idade - talvez uma por ano. A tecnologia barata a matar o sublime. Folheio Verlaine, Keats e Twain, desinibidos cultores do género. Esses não temeram o ridículo, nunca ! Saibamos copiá-los.


Ich küsse ihre Hand, Madame

Sem comentários: