14 junho 2007

Morreu um inimigo de Portugal

Kurt Waldheim (1918-2007), agora convocado pelas Parcas, foi secretário geral da ONU por dois mandatos (1972-1982) antes de se alcandorar a presidente da Áustria. Foi graças aos ofícios deste antigo oficial tradutor das forças alemãs na Jugoslávia e membro do Partido Nacional-Socialista que o PAIGC se sentou e foi reconhecido como membro de pleno direito na Assembleia Geral das Nações Unidas; foi graças a Waldheim que se espalharam e ganharam foros de inquestionabilidade os "massacres de Wiriamu", relatados por um sacerdote britânico de duvidosa índole; foi graças a Waldheim que a ONU não esboçou o mímimo gesto de apoio à sorte de centos de milhares de portugueses apanhados no vórtice da descolonização e foi a sua indiferença que permitiu a guerra civil em Timor, a invasão indonésia e subsequente genocídio. Tanto trabalho desenvolvido com afã e método contra Portugal veio a ter explicação: Waldheim era um títere objecto de permanente chantagem pelos serviços de informações dos blocos em confronto na Guerra Fria. Portugal reunia, como se sabe, ocasião rara para entendimentos e concessões entre norte-americanos e soviéticos, pelo que Waldheim soube com maestria transformar-nos em Cabeça de Turco. Vá com Deus !

Sem comentários: