12 junho 2007

Loucura precisa-se (e a minha hierarquia da loucura)

Ao longo desta sensaborona vida de homem domesticado - ah, como simpatizo com a ideia romântica do bárbaro - tenho conhecido centos de bípedes. Confesso, porém, que da generalidade não ficou qualquer traço visual ou sonoro, tão pouco um dito espirituoso, um sulco de alacridade contagiante, um conselho avisado, uma assertiva desarmante, uma opinião demolidora. As pessoas satisfazem-se com a mediocridadezinha, o pensamento curto, a opiniãozinha cheia de ses e de mas; em suma, têm medo de existir. Atrevo-me pensar que a generalidade se encontra neste palco do teatro de Deus (Vieira) com meras funções figurantes: nunca ousaram, nunca desafiaram, nunca se questionaram, nunca conheceram os arroubos da indignação e da paixão, deixando que os acontecimentos se sucedessem à sua volta.



Ora, as excepções, que registo, ou são desiquilibrados e tarados - também os há geniais - ou pessoas extravagantes, das quais, em português chão, dizemos terem uma "pancada". Gosto, confesso, de fulanos e fulanas com um grão de loucura. As criaturas mais inteligentes, imprevisíveis e interessantes - aquelas que não sucumbiram ao descaso - têm pancada. Daí o meu recente interesse por essa figura que convulsionou a vida política francesa. Falava ontem com o inteligentíssimo João Gonçalves - com uma "boa pancada"por sinal - e reconhecemos que Sarkozy tem pancada, da melhor. Que falta nos faz aqui, no ataúde à beira mar plantado, um maluco capaz de soprar a corneta em torno desta Jericózinha funesta, envergonhada, moralona e venal. Nesse dia, prometo, vou ao Rossio de fato de banho e chapéu de côco na cabeça ! E o João Gonçalves também lá estará, loucos que somos.


Léo Ferré: Est-ce ansi que les hommes vivent ?

Apostila:
Para que não se corrompa o sentido do que acabo de escrever, posto me situar num dos escalões [moderados], aqui vai uma proposta tipológica dos graus de extravagância, dos benignos aos malsãos:

- Pancada saudável
- Grande pancada
- Chanfrice
- Manias
- Monomania totalitária
- Taradice a) Vulgar; b) Genial
- Loucura branda
- Loucura violenta

Sem comentários: