14 abril 2007

O Coronel da Luftwaffe


Ontem jantei com um casal alemão. De passagem por Lisboa, com lembranças de velhos amigos da Renânia do Norte, o Coronel Norbert X foi amabilíssimo. Combinámos às 8.30 horas e cá veio ter às 8.29. Ele é oficial superior da Força Aérea alemã, ela professora de História numa escola secundária. Conversa amena: as belezas de Lisboa, a boa comida, o bom vinho. Pois, precisamente quando o vinho dominou o bom coronel Norbert começaram as cançonetas, depois as piadas e, por último, a política: reivindicações territoriais, as "nossas" províncias ocidentais da Polónia, uma parte da República Checa que nos "roubaram", um distrito da Dinamarca, uma talhada da Holanda, uma kleine fatia da Bélgica, o Luxemburgo, o Tirol do Sul - que em Itália até se chama Alto Adige - e, talvez, umas partes da Roménia, da Eslovénia e, quiçá da Lituânia, " sehr interessantes Land". Ao sair, Viele Grüssen e um enigmático: "que pena Portugal ser tão longe da Alemanha". Retorqui: "mein Oberst, wir sind keine Deutsche/ meu coronel, nós não somos alemães". Resposta: macht nichts, Sie sprechen deutsch/não interessa, Você fala alemão". Até tremi.

Sem comentários: