14 fevereiro 2007

S. Valentim



Hoje vi as ruas cheias de apaixonados e apaixonadas: flores, perfumes, livros, sacos e embalagens engalanadas. Passos apressados, restaurantes cheios, lojas a abarrotar. Afinal, parece haver ainda potencial para o romance num país que se deixou engolir pelo pessimismo, pela desesperança e pelo fado. Afinal, também se ama em Portugal.

Sem comentários: