24 fevereiro 2007

Relendo "Os deuses têm sede", de Anatole France



Le chant du Départ (1793). A França espalha Rousseau, a guilhotina e o Terror virtuoso pela Europa.
"Em Paris foram guilhotinadas 51 pessoas em Outubro de 1793, 58 em Novembro, 68 em Dezembro, 71 em Janeiro de 1794, 73 em Fevereiro, 127 em Março, 257 em Abril, 358 em Maio, 122 nos dez primeiros dias de Junho e 1376 de 10 de Junho (lei de Prairial) até 27 de Julho (9º Termidor). Ainda em 27 de Junho, foram guilhotinados uns vinte lojistas e operários. Mata-se muito mas rouba-se mais. Os bens nacionais, colocados sob sequestro, são roubados por aqueles mesmos que os têm debaixo da sua guarda. "Depositário de bens arrestados" e "ladrão" são perfeitos sinónimos na linguagem do tempo. Os livros, os quadros, os móveis, os tapetes, as carruagens, os soalhos embutidos, as janelas, os mármores, tudo desaparece".
Pierre Gaxotte, A Revolução Francesa, p. 267

Sem comentários: