05 fevereiro 2007

Dacosta, Lomba e Salazar


Parabéns pelo nobre exercício público de liberdade ontem demonstrado por Fermando Dacosta, sem medo nem ódio, no programa sobre Salazar em que Maria Elisa pulverizou anos de propalada seriedade profissional. Dacosta não se deixou intimidar pelo medinho prepotente do pensamento único e disse, como homem probo de esquerda, o que qualquer pessoa informada e isenta afirmaria.



O mesmo não direi de Lomba, que se comportou miseravelmente: vénias, metus tremens, temor reverencial pelos inquisidores, argumentação invertebrada, banalidades escapistas e outras fugas. Que não volte à RTP, pois a estrela apagou-se-lhe. Foi doloroso assistir àquele auto-auto-de-fé. O que fazem as pessoas para debicar as migalhas que a ditadura cultural das esquerdas deixa cair da távola onde amesendam os medíocres !

Sem comentários: