16 outubro 2006

Abortadeirismo: monomania escapista


As árvores não dão frutos e as colheitas perderam-se, as nascentes secaram e as florestas arderam, as exportações caíram, aumentaram exponencialmente as falências, deslocalizações, o desemprego e a criminalidade violenta. Se vivessemos na Idade Média, aplacando as jacqueries, vinha uma bula conclamando à salvação das almas, pedindo orações e o combate contra os propagadores da peste. Hoje, sempre que fenece a energia colectiva, desenterra-se a questão do aborto. Há máquinas de preservativos em todas as esquinas !