28 setembro 2006

Fátima Campos Ferreira, o assombroso atrevimento da mediocridade

Não vamos perder mais tempo. Fátima Campos Ferreira está para a televisão como António Fiúza para a futebolice, como Badaró para o revisteirismo, como Alberto Gunguhana Jardim para a partidocracia. É uma afronta para o serviço público, um atentado ao odor e à já risível dimensão do jornalismo autóctone. Ninguém aqui quer mal a ninguém, muito menos privar a sr.ª jornalista de aparecer nas pantalhas. Sugiro que a destaquem para a apresentação do Totoloto, do RTP Regiões ou do País Rural.
Fátima Campos Ferreira, uma vergonha nacional !, no Machado de Guerra.

Sem comentários: