01 agosto 2006

Líbano, um Estado fantasma

"Desde a guerra civil na segunda metade dos anos 70, o Estado libanês, mais do que uma realidade, tem sido uma aparência. O país a que dantes se chamava a Suíça do Oriente não voltou a emergir das escombros e está, desde então, refém de milícias várias, que operam a soldo dos Estados da vizinhança. A Síria, inclusive, deixou-se por lá ficar, depois de, em 1978, ter liderado a força de intervenção enviada pela Liga Árabe. Como é sabido, retirou-se, o ano passado, sob pressões de origem diversa, traduzidas em aparatosas manifestações de rua. Mesmo assim, as autoridades de Beirute continuaram num papel pouco mais que decorativo, incapazes de garantir a segurança e de fazer frente à poderosa organização do Hezbollah, a qual, sob a protecção de Damasco e de Teerão, continua a impor a lei no Sul do território e a ameaçar Israel, com o rapto de soldados e a artilharia que entretanto lhe continua a chegar prodigamente." ( Diogo Pires Aurélio, no DN)

Sem comentários: