08 agosto 2006

Catadupa de elogios

Ao Arcadia, ao Insurgente, à Miss Pearls, ao Tomar Partido, a Je Maintiendrai, ao Último Reduto, ao Misantropo , mil obrigados por tantos e tamanhos elogios, todos imerecidos sem dúvida, mas lidos (e relidos) neste súbito acesso de hedonismo matinal. Ontem foi em cheio, tiros certeiros no paiol, como dizíamos em miúdos. Não posso deixar de me sentir contente, a tal ponto se me enche o egozinho que não resisto, mais em abono dos autores que em favor do festejado (um vaidoso), respigar estas pérolas:
Pedro Guedes: "O Combustões vem sendo unanimemente considerado uma das grandes surpresas do ano que corre - mas não para mim, que há para aí duas décadas lhe conheço e reconheço o talento e a inteligência.Chegue então a hora da confissão: do texto do Miguel evocando este primeiro ano, uma passagem houve que me tentou à resposta, quando garante o Miguel "não ceder ao desalento de verificar que aquele campo político a que pertenci um dia está, como dantes, imperturbável perante o caminhar da história". O Pedro Guedes é um senhor dos pés à cabeça, um amigo de duas décadas, que diz o que pensa, pelo que compreendeu a minha mudança e não recuou um milímetro. O campo que se manteve "imperturbável ao caminhar da história" também o será, ainda, o meu. Sou conservador, não acredito em milagres e messianismos, pelo que estou bem mais próximo das minhas origens do que pensará Pedro, o Irredutível.
André Azevedo Alves: "Está de parabéns Miguel Castelo-Branco pelo primeiro aniversário do excelente Combustões." O André é o futuro. Claro que ninguém o vê de maõs na anca a arengar de cima de um carro blindado. É uma chefia de natureza diferente, britânica, cordata, educada, informada. Um jovem com obra, carreira e prestígio ganhos no forúm universitário. Está a trazer a infecção da Liberdade para Portugal - aquela peste que os colectivistas, os igualitaristas, os fetichistas da ordem pela ordem ou da desordem pela desordem tão ciosamente querem afastar das nossas fronteiras - e vai triunfar.
Miss Pearls: "Amigo Miguel, eu sabia que o seu blog havia de ser um sucesso. Não é muito comum tanta sabedoria e cultura. E depois, o que a gente se diverte deste lado dos posts, não é?" Pois é, Miss Pearls sabe-a toda. O seu blogue descontaminado de ódios e de quotidiano barulhento é uma garrafa de oxigénio a que se agarram todos os cultores de jardins secretos. Depois, são as gargalhadas que damos sempre que descobrimos a palavra certa, a dentadura postiça que cai, o capachinho que voa, o ódiozinho que salta do copo de fel, o remoquezeco saído das entranhas de tanta criatura que julgou poder fazer da blogosfera uma rampa para a notoriedade.
Dr. Cruz Rodrigues: "Considero-me um dos bafejados por aqueles louvores, que muito agradeço a todos que se têm dignado fazer-nos, como ainda ontem o Dr. Miguel Castelo Branco. Mas sobretudo porque quero ver neles o reconhecimento da fidelidade aos objectivos que desde o princípio aqui me propus." O Dr. Cruz Rodrigues não é um homem qualquer. Como aqui o disse em várias ocasiões, somos - como sociedade e como pessoas singulares - devedores do trabalho e inteligência deste homem que libertou o país do pensamento único instilado na Universidade. De coerência extrema, sem ser extremista, de um patriotismo seguro - logo, não agressivo - sem mácula de estrangeirismo e racismo, um verdadeiro defensor de uma democracia não confiscada, devo-lhe uma confiança sem limites.

Sem comentários: