30 agosto 2006

Cartas para Combustões: a propósito de Tintim


"Realmente as críticas a Hergé são useiras e veseiras. Críticas sobre a sua vida , que não sobre a obra. As acusações sobre Hergé tem fundamento em dois factos:ele ter sido colaborador do jornal católico "Le Petit Vingtième", que alegadamente apoiou a Alemanha, e a interpretação que se faz dos 2 primeiros álbuns de Tintim :Tintim nos Sovietes e Tintim no Congo.
Tintim nos Sovietes era um álbum com um traço naif e tosco e um argumento "feito à pressão". Logo os acólitos de Sartre vieram a terreiro dizer que era um exagero. Hoje a história mostra que era exagero... por defeito. Quanto a Tintim no Congo era um albúm no contexto de uma Bélgica como potência colonizadora. No fundo, Hergé foi usado como arma de arremesso pela esquerda. E a sua saúde ressentiu-se disso , sofrendo ao longo da vida de profundas depressões. Um joguete no batalha cultural , no contexto da Guerra fria.
Batalha que em minha opinião ainda hoje continua e que os Eua estão a perder..e será talvez a mais dificil de travar..."
João Melo

Sem comentários: