14 junho 2006

25%


Noticiam hoje os jornais que o Ministério da Defesa pretende reduzir em 25% o número de coronéis. Bem achado. Falta, contudo, reduzir em 80% o número de generais, em 90% o de brigadeiros, almirantes e demais multidão de funcionários fardados e promovidos por razões que só a política conhece. Chega de Estado Maior de secretaria e messe. Chega de antiqualhas do tempo da Guerra da Coreia que avariam em pleno desfile, caças que não levantam por falta de combustível, corvetas que metem água até ao portaló, helicópteros que avariam voo sim, voo não. Ao contrário do que dizem as más línguas, as Forças Armadas têm sido utilíssimas, excedendo-se em boa vontade e profissionalismo. A nova geração de oficiais cortou definitivamente com a cultura castrense do tipo "Vasco de Melena e Pá". Quer servir, mas precisa de meios. Ora, enquanto se esbanjar dinheiro em generais e coronéis do papel e dos ofícios, não há orçamento que resista.

Sem comentários: