26 abril 2006

Do Minho a Timor (1927)

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades. Uma foto que hoje seria arrolada nos crimes contra a humanidade. Contudo, no tempo dos nossos avós, era reveladora de um sonho unificador dos antípodas. Encontrei-a no arquivo de família: a minhota (Palmira Bastos) ostentando a "dignidade racial portuguesa" - grandes olhos mediterrânicos, arrecadas de ouro lembrando a Dama de Elche, tez fenícia - em contraste com as armas de Timor, em foto de Álvaro Fontoura, por ocasião das celebrações do primeiro aniversário da Revolução Nacional.
Quase oitenta anos passaram. As minhotas só sobrevivem em ranchos; os timorenses são os nossos maiores amigos. Tudo mudou, ou não ?

Sem comentários: