02 março 2006

Turbamulta

Um presidente que só desperta das funções vegetativas quando se lhe fala em futebol; um povo que fala, ri, cochicha enquanto um quarteto de cordas executa Haydn... dêem-lhes o Quim Barreiros; que lamenta o chá que lhe dão em vez do tinto carrascão; que prefere uma pitada à Parque Mayer a um poema; em suma, um povo que prefere um Sampaio a um Rei é este, o bom povo português. Compreendo, finalmente, a razão que nos levou a escolher a República e entendo, finalmente, por que razão o mais sólido dos povos latinos - os Espanhóis - a quiseram manter. Esta terra é um portento. Hoje estou inconsolável.

Sem comentários: