13 março 2006

A piolheirice


Garrafões desgrenhados, camisolões listados cheios de borboto até meio das pernas, brincos, piercings e tatuagens, crinas pintadas, chinelas e sapatilhas surradas pedindo bicarbonato de sódio, barba de cadastrados a monte, mulheres arrafeiradas envoltas em Kefia comprados nas tendas de Hand Craft, pedras, matracas, cocktails molotov, boinas bascas com o inefável Che, odor fétido a axilas não depiladas e halitose metífica constroem o retrato-robot dessa turbamulta impune que queima, vandaliza e agride os policias, os verdadeiros filhos do povo. A extrema-esquerda, com aquele culto da violência adubado com o incentivo de uma cultura de "legitima indignação", está em franca ascensão na Europa. Anteontem em Paris e Milão, amanhã talvez em Lisboa. Não há um governante decidido que faça cumprir a lei, a segurança e o respeito pelos cidadãos e pela propriedade ? Quanto tempo mais terão os nossos governantes para decidir o tratamento correspondente a quem faz das leis tábua-rasa, semeia o caos e convida a "maioria silenciosa" a exigir medidas securitárias ? É assim que morrem as democracias e surgem os candidatos a ditadores.

Sem comentários: