01 março 2006

Lenda negra

Savonarola é perseguido pela lenda negra do integrismo, da devoção purificadora, do controlo e policiamento dos espíritos e das condutas, mas houve - e há - figuras bem mais intolerantes e nocivas que o frade dominicano que quis fazer de Florença uma cidade austera e da Igreja uma organização respeitável.
Os furiosos da liberdade são habitualmente bem mais incisivos e violentos que o predicador que queimou livros e arminhos na fogueira das vaidades na Piazza della Signoria, mas, que se saiba, não tocou num cabelo que fosse de nenhum dos seus perseguidos. Anda por aí muita criatura que em nome da santa liberdade censura, apreende, manda guilhotinar, queimar e proscrever obras consideradas ofensivas da "Verdade". Ontem como hoje, a criatividade e o labor intelectual são tidos por incómodos. Isto aplica-se a tudo. Num país com meio milénio de inquisições, maçonarias, servidões e silêncios, importa que os espíritos se libertem antes de pedirem mais falsa liberdade.

Sem comentários: