24 março 2006

Lembrando um dos maiores luso-indianos


Passam este mês 140 anos sobre a publicação da mais exuberante obra literária escrita na Índia Portuguesa, Os Brâmanes, da autoria do infelizmente tão pouco lido e quase não estudado Francisco Luís Gomes. Tenho a sorte de possuir um exemplar da obra, que só conheceria reedição em 1996 e que constitui, para além da trama romanesca, uma tese e uma reflexão interessantíssima sobre o regime de castas na India. Recomendo vivamente a leitura, pois ultrapassa largamente todas as expectativas, para além de emular a literatura britânica vertida sobre o "exotismo" colonial do Raj britânico. Médico, político e tratadista reconhecido como dos mais relevantes do seu tempo - Stuart Mill rendeu-lhe público reconhecimento - Luís Gomes é mais um exemplo dessa estirpe de grandes portugueses originários das parcelas do império - entre António Sérgio e Almada Negreiros - que importa lembrar para manter viva a ideia de um Portugal derramado pelas sete partidas do mundo.

Sem comentários: