16 março 2006

Josephine Baker e a Barateira

Evoca hoje Je Maintiendrai a petite tonkinoise, inicialmente cantada por Mistanguette - quem ainda a ouve ? - mas popularizada por Josephine Baker, a diva negra que causou furor pelos palcos europeus nos anos 30, com coleccionadores de sensações fortes literalmente "abananados" pelo furor genésico e exótico da endiabrada dançarina. Mas o que muitos não sabem é que Josephine era um agente da espionagem de De Gaulle. A coberto das tournées que realizou em 1941 e 42, desenvolveu intensa actividade de pombo-correio, tendo mesmo chegado a encontrar-se em Lisboa com Jean Moulin - coordenador da Resistência francesa - na nossa conhecida Livraria Barateira. Aí, naquela sala do fundo, JB recebeu de Moulin documentação destinada à rede gaulista que operava na África do Norte Francesa. Para quem passar pela velha Barateira, recomendo um momento de recolhimento. Quem sabe se não ouvirá o eco da voz que eternizou o "J'ai deux amours / Mon pays et Paris / Par eux toujours /Mon coeur est ravi / Ma savane est belle, / Mais à quoi bon le nier / Ce qui m'ensorcelle / C'est Paris tout entier / Le voir un jour / C'est mon rêve joli / J'ai deux amours / Mon pays et Paris (...) ".

2 comentários:

David Ferreira disse...

boa noite

um amigo fez este seu post chegar ao meu conhecimento

vinha pedir-lhe um grande favor: consegue indicar-me a(s) fonte(s) desta informação?

antecipadamente grato,
David Ferreira - d.joao.ferreira@gmail.com

Combustões disse...

Veja, por favor, aqui: https://www.publico.pt/sup-publica/jornal/rainha-negra-21535475
e aqui: http://www.sabado.pt/vida/detalhe/as_aventuras_das_mulheres_que_espiaram_e_seduziram_em_lisboa.html