29 março 2006

Falar de blogues ao jantar

Ontem tive a honra de receber dois grandes senhores pela hora de jantar. Entre camarões e satay, veio a propósito o bloguismo em que estamos envolvidos e do qual já apanhámos tiques, como quem fala de um vício escondido. É certo que nos deixamos emaranhar nesse compromisso involuntário, e quando damos por isso é-nos tão tirânico como o café e o cigarro após a refeição. Fiz as minhas escolhas, dizendo que sigo o Je Maintiandrai por afinidades electivas, não perco a saborosa prosa e erudição do Jansenista (que muitas vezes se deixa enervar desnecessariamente e até fica mauzinho), o Pasquim da Reacção pela inteligência e precocidade (caramba, ainda faz surf), o Portas do Cerco (outra afinidade electiva), o Sexo dos Anjos pela austeridade o Misantropo Enjaulado (que soa a periódico do séc. XIX e até oferece uma pinacoteca diária) e o Insurgente, o meu jornal diário. De mais não tivemos oportunidade de falar, pois a hora ia adiantada e os dois visiteurs du soir tinham de preparar as malas para uma viagem ao hemisfério das mangas, do leite de coco e das raparigas de cabelos luzidios. Resta-me olhar para a minha coluna de preferidos e saber o que vão escrevendo. O Pedro Guedes anda ausente, a Miss Pearls etérea, a Arte da Fuga mais silenciosa, A Corneta do Diabo muda, o Portugal Contemporâneo intermitente e o Buiça pouco comunicador. Acordem e produzam, sff...

Sem comentários: